O impacto da nutrição na saúde capilar: alimentos bons para o cabelo

Benefícios de uma alimentação saudável:

O cabelo é uma das maiores vaidades humanas, ter um cabelo bonito é sinônimo de juventude, status social e saúde. Por isso a indústria da beleza capilar lucra milhares todos os anos vendendo produtos químicos milagrosos que prometem desde crescimento rápido até a cura da calvície. Sabemos, por experiência própria, que nem tudo realmente funciona especialmente se o tratamento é feito sem acompanhamento de um especialista. O que muita gente ainda não sabe, é que a alimentação possui papel fundamental para a saúde capilar e para o sucesso dos tratamentos clínicos.

Prioridades do organismo

Do ponto de vista orgânico, o cabelo é algo “supérfluo” ao organismo, por isso qualquer deficiência alimentar será punida com um corte nos sistemas que não sejam vitais ou prioritários para o organismo, como é o caso dos cabelos. Desse modo, o acompanhamento nutricional e uma suplementação alimentar podem ser altamente benéficos para a saúde capilar.

A alimentação nem sempre é adequada ou suficiente: o processo industrial reduz o valor nutricional dos alimentos, reduzindo vitaminas e fibras. Ingerir é diferente de absorver. Além disso, na recente busca pela saúde e por um corpo perfeito, a prática de exercícios físicos moderados a intensos, aumentam muito o consumo dos micronutrientes, oligoelementos e proteínas: músculos ávidos por nutrientes podem competir com o cabelo, desestabilizando esse delicado equilíbrio. Sem contar que seguir “as dietas da moda”, sem acompanhamento de nutricionista, pode prejudicar mais do que ajudar.

No caso das mulheres em fase fértil, existe um agravante: o fluxo menstrual representa uma perda crônica ao organismo, em especial de ferro. Sabidamente este mineral é de difícil absorção, mesmo com suplementação oral. Vemos com freqüência níveis de ferritina limítrofes ou baixos, comprometendo o cabelo. O organismo dá prioridade à produção de hemoglobina em detrimento ao cabelo, e mesmo quando as reservas de ferro são suficientes para evitar anemia, esse estoque pode ser insuficiente para os cabelos que necessitam de níveis maiores para crescer de forma saudável. Estudos recentes mostram pacientes femininas não respondem aos anti-andrógenos quando os níveis de ferritina estão baixos.

Alimentação saudável 

Sabemos que muitas pessoas consideram difícil manter uma dieta saudável devido à rotina diária, mas não é tão difícil assim. Podemos escolher alimentos com valor nutricional maior em detrimento aos que possuem um teor mais baixo: um exemplo é consumir frutas ao invés de doces industrializados. Não apenas seu cabelo irá agradecer, como todo o seu organismo. Existem diversas combinações muito saborosas como o morango e damasco, apelidada de bombom natural (vale a pena experimentar)

Listamos alguns alimentos que não podem faltar no cardápio de quem deseja estar saúdavel e com um cabelo lindo:

Fontes de ferro

O ferro é importantíssimo para o crescimento do cabelo: carnes vermelhas, vegetais verde-escuros (espinafre, brócolis, rúcula, almeirão), castanha de caju, leguminosas (feijão, ervilha, lentilha) e cereais integrais (aveia e quinoa) são ótimas fontes do mineral

Proteínas

São indispensáveis em uma dieta equilibrada, para a saúde do cabelo então, é essencial. Inclusive, os fios são em sua maior parte, constituídos de queratina, um dos tipos de proteínas existentes.

Ovos, carne vermelha magra, aves, tofu, ervilhas verdes, arroz integral, quinoa, abacate, sementes de chia e de linhaça, batata vermelha e cevada são ótimas fontes de proteína e não podem faltar na dieta.

Zinco, selênio e silício

Para completar uma alimentação saudável, esses nutrientes também não podem faltar. Se você quiser ostentar uma cabelo brilhante, sedoso e com bom crescimento deve lembrar desses alimentos:

Açaí, frutos do mar (ostras, camarão, lagosta), iogurte, peru e chocolate amargo são ricos em zinco.

Arroz, farinha de trigo, ovos, sementes de girassol, atum, cogumelo crimini e aveia são fontes de selênio.

Maçã, laranja, abacaxi, banana, frutas secas, rabanete, beterraba e tomate são alguns exemplos de alimentos que contêm silício.

Gorduras

Evite a gordura animal que é um veneno rico em colesterol. A gordura vegetal não contém colesterol. Importantíssimo, evite a todo custo a gordura vegetal hidrogenada “a maléfica gordura trans” que enrijece os vasos sanguíneos. É encontrada em margarinas, sorvetes de massa, biscoitos ou alimentos industrializados crocantes.

Além disso, uma alimentação mais ‘gordurosa’ pode influenciar nos casos de dermatite seborréia (caspas e outras doenças que afetam o couro cabeludo.

Hidratação

Manter o corpo hidratado é essencial para um organismo sadio. Além de beber água, podemos incluir a ingestão de sucos naturais e chás. O chá-verde por exemplo, é antioxidante e reduz as chances de ter câncer. Tome gelado com suco de limão ou laranja, evite ingerir muito açúcar.

Dicas

É aconselhável trocar a carne vermelha, rica em colesterol, pelo peixe ou soja. A carne vermelha crua pode aumentar o risco de câncer de próstata .O salmão e a sardinha são ricos em omega-3, importante para a pele e coronárias. Inclua sempre no seu cardápio saladas, ricas em folhas variadas. Um molho a base de shoyu, limão (ou vinagre balsâmico) e azeite deixa tudo mais saboroso. Coma ainda tomate cru, bom para a próstata.

E o mais importante: sempre busque ajuda profissional, não faça dietas da moda ou de famosos, cuidado com os suplementos, o excesso de certos nutrientes como o zinco pode ser prejudicial. Lembre-se automedicação não é uma escolha sábia,  se você está com perda capilar ou algum problema de saúde, procure orientação médica.

Estar bonito é estar saudável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *