Tratamento Capilar

Tratamento Capilar

Eficácia é ter o tratamento clínico  ideal para o seu caso

A perda capilar sempre incomodou os homens, um dos motivos para isso é a jovialidade: existe uma relação entre idade e grau de calvície, uma pessoa calva acaba parecendo mais velha. Os cabelos também têm uma importante participação estética na harmonia facial, sem a ‘moldura capilar’ as linhas faciais perdem o equilíbrio. O tratamento capilar visa retardar a progressão da calvície, com melhora estética em alguns casos.

O tratamento  capilar é de grande importância tanto para conter a progressão da calvície como para regredir e cessar a queda de cabelo, por isso o ideal é que se inicie o mais cedo possível. Por enquanto nenhum tratamento capilar é capaz de restaurar os fios já perdidos, eles atuam para estabilizar o quadro: Retardam a perda e revitalizam o cabelo, evitando a progressão da calvície, o que é essencial para o combate da perda de cabelo. O tratamento capilar geralmente é realizado com a utilização de medicamentos tópicos, tais como shampoos e loções capilares, ou medicamentos de uso oral (tratamento sistêmico).

INDICAÇÃO DO TRATAMENTO CAPILAR

Pacientes que ainda não têm uma indicação precisa para o transplante capilar
Para realizar o transplante capilar é necessário que o padrão da calvície esteja definido, ou seja o médico só pode fazer um planejamento seguro quando sabe o quanto de cabelo o paciente irá perder. Em pacientes com menos de 30 anos, é mais difícil prever qual será o padrão da calvície, e a possibilidade de retardar a progressão da perda é maior. Por isso o tratamento clínico é recomendado.

Pacientes que já realizaram o transplante capilar e buscam estabilizar a perda capilar, evitando assim realizar um novo transplante
Os fios transplantados não irão cair, mas os fios remanescentes ainda sofrem com a ação do DHT e podem sofrer queda com o passar do tempo.

Portadores de outras doenças do couro cabeludo.

Mulheres que tenham calvície androgenética feminina

TIPOS DE TRATAMENTOS

O cabelo é uma estrutura exigente, qualquer desequilíbrio no organismo pode afeta-lo. Portanto é necessário buscar as causas gerais da perda capilar que podem ir além da alopecia androgenética. O tratamento capilar deve ter acompanhamento clínico e ser específico para a necessidade de cada paciente. O mais importante é começar o tratamento logo, o quanto antes. De preferência, assim que perceber “queda” ou diminuição do volume. Por outro lado é ilusório achar que apenas o tratamento clínico poderá reverter uma calvície já avançada. O tratamento medicamentoso irá estabilizar a queda e até reverter parte da perda, melhorando até 20-30%.

Tratamento Tópico

As medicações de uso tópico são sempre mais trabalhosas e possivelmente têm maiores chances de provocar irritação. Mas a vantagem é que quase não há efeitos colaterais sistêmicos. Além do consagrado Minoxidil existem outros, fitoterápicos, loções e shampoos de ação não muito bem estabelecida.

Loções

A perda de cabelo pode ser decorrente da queda capilar ou de um processo mais lento chamado miniaturização (quando o cabelo começa a crescer cada vez mais fino e menor, até que o folículo capilar atrofie e deixe de produzir cabelo). Novamente temos loções especificas para cada caso. No caso da queda, uma das causas pode ser problemas do couro cabeludo que são tratados com loções especificas, em geral por um tempo limitado. No caso de problemas crônicos, que levam a miniaturização, o tratamento com loções também deve ser prolongado. Tratamentos sistêmicos são geralmente associados.

Shampoos

O uso de shampoos específicos é fundamental. Eles podem tratar mais especificamente o couro cabeludo ou o fio (haste). A sensação de diminuição de volume do cabelo pode ocorrer tanto pela queda capilar como pela quebra do fio. Esta diferenciação é fundamental. A queda ou perda capilar pode ser decorrente de problemas específicos do couro cabeludo, como a dermatite seborreica (caspa) que responde muito bem aos shampoos específicos ao couro cabeludo. Já nos casos de quebra ocorre perda da elasticidade e danos ao fio do cabelo, deixando-o frágil e susceptível à quebra. Neste caso, além de shampoos específicos podem ser úteis condicionadores, máscaras capilares, leave-in e hidratações. Além é claro de cuidados ao pentear e secar o cabelo. Como muitas vezes os problemas podem estar associados, e dificilmente teremos produtos para a queda e a quebra, a associação terapêutica poderá ser indicada.

Tratamento Capilar Sistêmico

O tratamento capilar sistêmico é geralmente realizado por medicamentos de uso oral. Mais uma vez temos medicamentos específicos para a perda capilar, como a finasterida ou anti-andrógenos e outros visando restabelecer o equilíbrio do corpo como um todo.
A finasterida (princípio ativo do tratamento) age bloqueando a enzima responsável pela conversão da testosterona em DHT, que é a 5-alfa-redutase. Já existem drogas capazes de bloquear 99% dessa conversão, como a Dutasterida, desenvolvida para o tratamento do câncer de próstata. Seu uso para a calvície é o que chamamos “off label” ,ou seja, usar uma medicação desenvolvida para uma doença para tratar outro problema para o qual ainda não foi aprovado, nem comprovado e menos ainda oficialmente indicado, embora efetivo. O que não sabemos são os possíveis efeitos colaterais. Nós ainda não o prescrevemos, aguardando os estudos que vêm sendo realizados. Temos ainda o 17-alfa-estradiol, que em tese teria uma ação semelhante aos anteriores, (bloqueando a conversão de testosterona em DHT), mas de uso tópico. No entanto, poucos estudos sérios dão suporte a essa droga e a nossa experiência clínica tem mostrado o mesmo.

Mesoterapia Capilar

Consiste na aplicação de substâncias que estimulam o crescimento capilar diretamente na derme, camada superficial da pele, acima da gordura, através de micropunturas no couro cabeludo. Utilizam-se misturas de medicamentos tais como o minoxidil, vitamínicos específicos para os cabelos, d-pantenol, antiinflamatórios, além de anestésicos para diminuir a dor. Tem indicação principal no controle de quedas agudas de cabelo (eflúvio telógeno agudo) ou para o tratamento de resgate de quadros progressivos, como a alopecia androgenética.